Related Posts with Thumbnails

quinta-feira, 22 de outubro de 2009

A rua é um lugar de responsabilidade

Com a bola dominada, o catarina segue rumo a meta adversária. Titular do juvenil do Vasco da Gama, time que figurou entre os primeiros do futebol do Rio de Janeiro, Gilberto Lopes da Silva ou Betinho, como é conhecido na região de Florianópolis, poderia ter tido um destino diferente do pai, mas a vida o quis motorista. Uma dividida com um volante do Madureira Esporte Clube fez sua estrela no futebol apagar. Betinho é atualmente motorista da Presidência do Partido dos Trabalhadores, e nos contou sua vivência nas ruas.

Você jogou no Vasco da Gama, como chegou lá?

Aos 12 anos fui revelado pelas divisões de base do Avaí, e com 15 fui pro Figueirense. Um olheiro do Vasco da Gama me levou pro Rio, e joguei com Mazinho e Romário. Uma dividida com um volante do Madureira arrebentou meu joelho. Eles me chamavam de “Catarina”, nunca pelo nome.

Como se tornou motorista?

Meu pai era motorista de caminhão, e eu o ajudava a carregar peixe. Por ironia fiquei com o ofício do velho. Sabia dirigir tudo, e depois que me recuperei do joelho fui dirigir. Pro futebol não prestei mais porque você fica rotulado como “jogador bichado ou fraturado”. A rua me aceitou.

Você dirigiu pra alguém importante?

Transportei artistas e políticos. Fui motorista da Xuxa, Jota Quest, Ira, Paulo Ricardo (RPM), Lulu Santos, Gilberto Gil, Pepeu Gomes e Baby Consuelo, Charlie Brown Jr, Iriê, Dazaranha, Guaipeca, Jimmy Cliff, Rodie Stuart. Dirigi pro Zé Dirceu, Luiz Henrique da Silveira, Edson Andrino, Luci Choinacki, Ideli Salvatti, e pra muitos vereadores, assessores.

Como foi parar no PT?

O CD (Cedenir Simon) tinha um trabalho no meu bairro (Caieira do Saco dos Limões) e eu era presidente da associação comunitária. É um cara limpo, boa pinta, estuda muito e trabalha firme. O CD me chamou para trabalhar com ele, e vim para cá após as eleições municipais.

E como é ser motorista da Presidência?

É grande a responsabilidade, e dirijo com cuidado. Dirigir não é brincadeira de criança, e tem muito louco por aí nas ruas.

Qual foi o maior susto que passou na direção?

Eu dirigia uma van de turismo com minha família. Havia ido buscar o carro do conserto, mas descobri (dirigindo) que não fizeram o serviço. Freei o carro num semáforo, os freios não responderam, uma escada entrou vidro adentro e ficamos muito machucados. Graças a Deus ninguém morreu.

2 comentários:

Anônimo disse...

Esse cara eu conheço! Gente boa, batalhador, já passou por algumas na vida ,tem isso como experiência e sempre buscando o melhor, legal. Sei disso por que além de conhece-lo, a esposa dele é minha amiga. rsrsrs

Anônimo disse...

O comentário acima não é anônimo, é de Daniela Bondesan.

  © Blogger template Ramadhan Al-Mubarak by Ourblogtemplates.com 2008

Back to TOP