Related Posts with Thumbnails

sexta-feira, 23 de outubro de 2009

A rua é o palco

Um banco na praça, ao lado de uma cidade movimentada. A praça reinventa a calma. Por um instante tudo para. A praça é o lugar dos poetas, dos amantes, dos artistas, da boca do lixo, do palhaço, e dos desocupados. A praça é um lugar aumentado da rua. A rua é o começo de tudo, a fonte da vida… Desço a Praça XV, com bustos de homens renomados. Lá está Jerônimo Coelho, e também Cruz Souza; lá está à velha Figueira, a história de antes, e os dizeres arrastados. Faço sinal para o palhaço Hortaliça, um rapaz de um pouco mais de vinte anos, e que há três viaja por Mato Grosso do Sul, São Paulo, e os Estados do Sul expondo sua arte. Hortaliça é a personagem de Rafael Rosa, um paranaense de Cornélio Procópio, divisa com o Estado de São Paulo.

Nas suas andanças o que tem visto por aí? Entrei em contato em São Paulo com os Doutores da Alegria, palhaços que fazem um bonito trabalho de alegrar pacientes, principalmente com câncer. Eu estou no meio da arte, e assim, entro em contato com vários artistas.

Para que um palhaço venha às ruas, o que tem havido com o circo? A rua é o palco, a liberdade. Mas, sinto que a cultura do circo decaiu muito. Toda arte num geral está desaparecendo em meio a correria das pessoas.

Qual é a mensagem que você deixa? Que todos sejamos palhaços, que qualquer um gaste cinco minutos de seu tempo para contemplar a arte, a cultura. E está para vir aí a banda Rafael Rosa e os Cabocrônicos. Eu abro o caminho, os demais componentes chegam depois.

Para entrar em contato com o Palhaço Hortaliça, envie um e-mail para:
rafaelplonkoski@yahoo.com.br

Um comentário:

rafinha disse...

assim como um fez cabe a todos continuar...


Parabens pela matéria.

Palhaço Hortaliça

  © Blogger template Ramadhan Al-Mubarak by Ourblogtemplates.com 2008

Back to TOP