Related Posts with Thumbnails

sábado, 31 de outubro de 2009

A rua é lugar dos migrantes

Santa Catarina está no ranking dos Estados da Federação que apresentam os maiores números de migrações do campo para cidade, o chamado Êxodo Rural. A migração muda o perfil cultural do Estado, e acarreta diversos problemas para economia regional quando não existe planejamento. A rua sempre aceita os viventes.

Giovani Ferreira, 28 anos de idade, é um pedreiro que encontramos na Praça XV. Solteiro, mas “ajuntado”, como ele mesmo prefere dizer. É natural de Pato Branco/PR, e seu sotaque não o engana, pois fica nítida a fala com os “erres” carregados, o chamado retroflexo – herança dos ingleses e suas ferrovias. Há uns meses ele caiu de um andaime porque estava sem a cinta de proteção, desde então, ficou seis meses perambulando pelas ruas sem ter uma ocupação, apenas um com atestado médico. “Tenho que voltar pro serviço depois de segunda”, ele relata.

O pedreiro diz que tem como sonho a esperança de ver as coisas melhorarem. Alega que no Paraná chegou a trabalhar numa Serraria, e que lá ganhava R$10,00 por dia, R$50,00 por semana. Aqui (Florianópolis) ele ganha R$50,00 por dia. “Aqui não se morre de fome. Serviço tem aí. Não trabalha quem não quer”.

Giovani menciona que vai para Praça XV ver as amizades. Ele gosta de ir a Praça. Mas, mora no bairro de Ingleses, em Florianópolis/SC, desde os 20 anos de idade.

Para contratar o Giovani você liga para (48) 9901 1372.

(*) Matéria realizada por Ariana Luz e William Wollinger Brenuvida.
(**) Crédito da foto: Ariana Luz.

Nenhum comentário:

  © Blogger template Ramadhan Al-Mubarak by Ourblogtemplates.com 2008

Back to TOP